PROFESSOR-EXECUTIVO

Crise econômica faz procura por especializações aumentar

Por: O Globo

RIO – A taxa de desemprego chegou a 11,2%, pior nível da série do IBGE. E o reflexo em que tem ocupação é imediato: o índice de Medo do Desemprego subiu 1,9% em junho deste ano, para 108,5 pontos, batendo recorde histórico, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Estes dados nada animadores criaram um movimento crescente pela procura de cursos de pós, MBA e mestrado.

As escolas perceberam o aumento da demanda, tanto por profissionais que estão trabalhando, mas querem atualizar-se para diminuir o risco de demissão, como por pessoas fora do mercado, que procuram o estudo para estar prontas para uma nova oportunidade.

Na Coppead/UFRJ, a tradicional procura pela curso de mestrado foi ainda maior este ano, com uma relação de sete candidatos/vaga, afirma Paula Chimenti, vice-diretora de Mestrado.
— Quanto mais o mercado fica exigente, ter algo extra no currículo passa a ser fundamental. E MBA é uma exigência das grandes empresas para atuar na área de administração — explica Paula.

A FGV Management Rio registrou grande crescimento na procura dos cursos de pós-graduação/MBA. As áreas mais buscadas são de Gestão, de Finanças e de Marketing.

Para Paula Borges, superintendente da FGV Management Rio, a opção pela educação executiva é sempre um bom investimento, independentemente do momento econômico do Brasil.
— Aumenta nosso capital intelectual, nossa rede interpessoal, nos atualiza e prepara para os novos desafios que sempre se apresentam. Com a situação econômica do país, aumentou o número de interessados que estão sem trabalho e veem na continuação dos estudos uma chance maior de realocação — afirma Ana Paula.

Esta é a mesma opinião do professor Luis Felipe Reis, diretor acadêmico de pós-graduação e pesquisa da Unisuam. Segundo ele, para quem está desempregado, a volta aos bancos escolares é uma maneira de dar um upgrade no currículo e estar mais disponível para novas oportunidades.

— Os cursos de especialização, além de agregar valor à formação, estreitam o relacionamento e permitem o network, o que pode facilitar a aquisição de novas posições no mercado de trabalho — acredita o diretor.

Na Unisuam, os cursos das engenharias, áreas mais afetadas pelo desaquecimento da economia, cuja exigência por mão de obra cada vez mais especializada é maior, foi uma das mais procuradas.

— Os que tiveram maior aumento foram os cursos de especialização em Engenharia Estrutural, e em Gestão de Obras Civis. As áreas da saúde e psicopedagogia também tiveram crescimento — relata.

Já na Unicarioca o aumento de procura em MBAs aconteceu mais em Controladoria e Tributos, Recursos Humanos e Logística.

— Mas os destaques foram especialização em jogos e animação digital e MBA em mídias sociais — destaca Andréa Aguiar, coordenadora dos cursos de pós-graduação.

Renata Machado, do Centro de Carreira da Escola de Negócios da PUC-Rio, recomenda a profissionais que observem as tendências na carreira Foto: Agência O Globo Saiba como incrementar o currículo para se dar bem depois da crise
Para Ferreira, o que diferencia os cursos nas escolas de negócios ao redor do mundo é o comprometimento com a carreira de seu ex-aluno.

– See more at: http://www.idce.com.br/crise-economica-faz-procura-por-especializacoes-aumentar/#sthash.Q1jy04W7.dpuf