conecte-se conosco

Liderança – Um desafio sempre presente

Recursos Humanos

Liderança – Um desafio sempre presente

Liderança – Um desafio sempre presente

LIDERANÇA – UM DESAFIO SEMPRE PRESENTE

Rosa Maria de Paula Vilhena

Muito já se falou e certamente ainda analisaremos bastante o fenômeno da liderança, seus mitos e verdades(?). Comentaremos algumas abordagens:

A mais antiga teoria estruturada sobre liderança, a chamada Teoria dos Traços, pressupõe que uma pessoa, nascendo com determinados traços de personalidade lideraria sempre, em qualquer situação. Os traços mais usualmente apontados são:  físicos, intelectuais, sociais erelacionados com a tarefa. Dentro dessa abordagem, liderança seria algo inato.

Outra abordagem, a Teoria dos Estilos, aponta que existem basicamente três estilos de liderança: o autocrático, o democrático e o “laissez-faire”sendo que o primeiro é aquele que impõe e faz uso da força,osegundo, é o que sempre busca a participação da equipe e o terceiro é   conhecido pelo estilo omisso.Uma das consequências da teoria dos estilos de liderança ensejou modelos e programas com o objetivo de transformar as pessoas em líderes democráticos e, ao mesmo tempo, com forte preocupação com a produção. Robert Blake e Jane Mouton (1977) desenvolveram o Grid Gerencial, que é um modelo com duas coordenadas: orientação para pessoas e orientação para tarefas.

OModelo dos Oito Papéis desenvolvido por Quinn (2003)mostra atuações ou papéis em que um líder deve estar preparado para exercer de acordo com o contexto da situação. São eles: mentor, facilitador, monitor, coordenador, diretor,produtor,negociador e inovador.

Finalmente a Liderança Situacional desenvolvida por Kenneth H. Blanchard ,‎ Paul Hersey( 2010)defende que o estilo que o líder deve adotar com indivíduos ou grupos depende do nível de maturidade das pessoas numa interrelação entre  a quantidadede orientação e direção (comportamento de tarefa) que o líder oferece, aquantidade de apoio sócio -emocional (comportamento de relacionamento)dado pelolíder e  o nível de prontidão (“maturidade”) dos subordinados no desempenho deuma tarefa, função ou objetivo específico. Esse modelo desloca a figura central do líder para afigura dos liderados.

Como vimos o tema Liderança continua em pauta principalmente considerando que a dinâmica das organizações, mais do que nunca, está em processo de constantes desafios.

 

Referências:

Robert R. Blake E Jane S. MoutonO Grid Gerencial: A Chave Para A Liderança Eficaz Vol. 3São PauloBiblioteca Pioneira, 1997

Quinn, Robert E. et ali. Competências Gerenciais: princípios e aplicações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003

Kenneth H. Blanchard ,‎ Paul Hersey – Psicologia Para Administradores. A Teoria e as Técnicas da Liderança SituacionalSão Paulo: Ed. EPU,2010

Clique para comentar

Comentários

Mais em Recursos Humanos

Conecte-se

anúncio
Topo